Autor: Petición online
sábado, 31 de mayo de 2008
Sección: Artículos generales
Información publicada por: A.M.Canto


Mostrado 7.836 veces.


Ir a los comentarios

Preocupación por la mejor biblioteca arqueológica portuguesa

Se solicitan adhesiones para la campaña de recogida de firmas online pidiendo al Ministerio de Cultura de Portugal que vele por la continuidad de las publicaciones y archivos del extinguido Instituto Português de Arqueologia, y asegure una digna sede a su magnífica Biblioteca, la mejor de Portugal en temas arqueológicos.

Transcribo abajo el texto de una carta dirigida al
Ministro de Cultura de Portugal para la que muchos profesionales y aficionados portugueses han secundado una campaña de
recogida de firmas online, aquí:
http://www.petitiononline.com/biblipa/petition.html

El motivo no puede ser más justo: solicitar que las
autoridades lusas velen por la continuidad tanto de las internacionalmente
acreditadas publicaciones del Instituto Português de Arqueologia (extinguido en
2006 y sumido en 2007 en el nuevo IGESPAR) y de su Archivo, como de que, ante
un cierre ya previsto a causa de otro fin (instalar en su solar el "Museo Nacional de Coches"), se busque o se cree una nueva y digna
sede para su importante Biblioteca arqueológica, que en 1999 recibió en valiosa
herencia la de la antigua delegación lisboeta del Instituto Arqueológico Alemán.

El apoyo expreso de cuantos más mejor sería sin duda eficaz
para que todo ello se consiga, y una solidaridad muy bienvenida para los
firmantes portugueses, que encabeza el Prof. José d'Encarnação, de la
Universidad de Coimbra.

Está de más aclarar que se trata de una campaña abierta, no es preciso ser
profesional, sino sólo un buen y preocupado aficionado a nuestros campos. ¡Máxime
cuando en la Antigüedad éramos todos lo mismo! Gracias por vuestra atención y, en su caso, adhesión.

____________

To: Exmo Senhor
Ministro da Cultura

Os subscritores deste abaixo-assinado manifestam a sua
grande apreensão com o futuro da maior biblioteca especializada em património
arqueológico do País, que tem vindo a servir estudantes universitários
professores e investigadores, além do público interessado.

Referimo-nos à Biblioteca de Arqueologia do IGESPAR, IP, que
resultou da cedência, em 1999, em regime de comodato, pelo Estado Alemão ao
Estado Português, aquando da extinção da delegação de Lisboa do Instituto
Arqueológico Alemão, vindo a integrar o então Instituto Português de
Arqueologia (IPA).

Não menos importante tem vindo a ser a permanente e
necessária actualização do acervo desta biblioteca, garantida fundamentalmente
pela permuta das publicações de arqueologia de edição própria (a “Revista
Portuguesa de Arqueologia” e a série monográfica “Trabalhos de Arqueologia”)
com centenas de instituições congéneres e de investigação arqueológica,
nacionais e estrangeiras. Tais publicações têm desempenhado um papel
fundamental na divulgação da actividade arqueológica nacional realizada durante
a última década.

Acresce ainda a preocupação com o Arquivo do ex-IPA, com um
acervo histórico complementar ao da Biblioteca, onde se encontram os relatórios
dos trabalhos arqueológicos realizados em Portugal desde o Estado Novo até à
actualidade, muitos dos quais nunca foram publicados, pelo que são de extrema
importância para qualquer investigação

A Resolução do Conselho de Ministros n.º 78/2008, (D.R. n.º
94, Série I de 15-05), referente à requalificação e reabilitação da frente
ribeirinha da cidade de Lisboa, prevê que na área onde actualmente se localiza
a Biblioteca de Arqueologia e o Arquivo se venha a construir o novo Museu
Nacional dos Coches, devendo iniciar-se a obra ainda no decorrer do corrente
ano, de forma a encontrar-se concluída a tempo das comemorações do primeiro
centenário da implantação da República em 2010.

Gostaríamos, por conseguinte, de alertar V. Ex.ª para a
importância de que se reveste a continuidade desta Biblioteca bem como das
publicações arqueológicas a ela associadas, cuja qualidade tem vindo a ser
reconhecida além-fronteiras.

Sem mais,

Os Subscritores

_________

Por si alguien quiere hacer circular la campaña en foros o listas de zonas anglosajonas:


Uncertainty for the archaeological Library, Archive and Publications of ex-IPA, presently IGESPAR, IP


The below signed are protesting the uncertain future of the largest
specialized library of archaeological heritage in Portugal, that has
served students, university professors and researcher as well as the
general public.

We refer to the Archaeological Library of IGESPAR, IP, (Instituto
de Gestão do Património Arquitectónico e Arqueológico, IP) which
resulted from the 1999 cession of the German State’s collections to the
transference of materials to the Portuguese State, due to the
extinction of the German Archaeological Institutes closure of its
Lisbon branch. At that time, the collection became absorbed and
integrated in to the Instituto Português de Arqueologia (Portuguese
Institute of Archaeology).

Of no less importance is the permanent and necessary upkeep of the
quantity of publications in this library that is basically guaranteed
by the mutual exchange of publications, with hundreds of similar
national and international institutions of archaeology, with its own
edition of the "Revista Portuguesa de Arqueologia" and the monographic
series "Trabalhos de Arqueologia". Such publications have played a
essential role in the dispersion and dissemination of national
archaeological activity over the last decade.

Adding to this preoccupation concerning the archives of the
institution formerly known as IPA are the archaeological reports – a
volume of works that are of great historical value to the collection.
Here, one can consult those reports and the archaeological campaigns
conducted in Portugal since the Estado Novo until the present day -
many of which have never been published and are of extreme and
essential importance to any researcher.

The Resolution of the Ministry Cabinet n.º 78/2008, (D.R. n.º 94,
Série I de 15-05) which refers to the 78/2008 improvement and
reconstruction of the river front of the city of Lisbon, foresees that
in this area where the Library of Archaeology and the above mentioned
archives are currently located, construction of the new National Museum
of Coaches will have to be initiated, during this year, in order for
the work to conclude in time for the commemoration ceremonies for the
first centennial since the implantation of the Republic in 2010.

We would like, therefore, to alert his Excellency to the
importance of the continuity of this library as well as those
archaeological publications and associated works, whose quality has
come to be recognized beyond the borders of Portugal.



Sincerely,


The Undersigned

P.D.- Terraeantiqvae se ha hecho eco en portada: http://foroterraeantiqvae.ning.com/


No hay imágenes relacionadas.

Comentarios

Tijera Pulsa este icono si opinas que la información está fuera de lugar, no tiene rigor o es de nulo interés.
Tu único clic no la borarrá, pero contribuirá a que la sabiduría del grupo pueda funcionar correctamente.


  1. #1 Uma 01 de jun. 2008

     


    “…. de su Archivo, como de que, ante un cierre ya previsto a causa de otro fin (instalar en su solar el "Museo Nacional de Coches")….”


    Alucinante.


    no tiene la misma importancia ,claro pero de alguna manera ,me recuerda a lo del Museo Nacional de reproducciones artísticas de Madrid


    http://www.plastercastcollection.org/en/database.php?d=lire&id=64


     


     que he comentado varias veces en Celtiberia : era un museo de lo más didáctico y lo desmantelaron sin más información a los consumidores que “se van a hacer obras durante el verano” ,las obras duraron más….y desapareció el museo y en su lugar se han puesto unas instalaciones relacionadas con el museo del traje : tienda,restaurante de diseño etc no recuerdo bien la distribución,con vistas a dejar todo preparado para el lanzamiento de actividades relacionadas con la moda (conferencias y jornadas con diseñadores ,exposiciones de modist@s importantes etc.


    Que está muy bién que se promocione la industria de la moda y,sobre todo ,que el museo del traje es muy interesante ,pero no sé porqué se tiene que hacer a expensas del museo de reproducciones ,que era de lo más didáctico e interesante:


    Además,con las técnicas tan buenas que hay ahora para hacer reproducciones,un museo así se podría ampliar muy bién con reproducciones de arte prehistórico,en una exposición sobre Atapuerca y el mundo de la prehistoria se incluyó una reproducción de la venus de Willendorf y era maravilloso poder verla en directo,con su tamaño real etc.


     


    No quiero desviar el tema ,pero  lo digo ,aprovechando esta   noticia ,para enlazar con otra también preocupante de la que hemos hablado aquí en Celtiberia:la desaparición de algunos  museos en este país y porque en el fondo se refiere a a lo mismo : la poca importancia que se dá al patrimonio arqueológico.  

  2. #2 A.M.Canto 07 de jun. 2008



    Buena noticia

    Arqueologia: Biblioteca e Arquivo não encerram, afirma subdirector
    do IGESPAR, afastando preocupações dos arqueólogos


    Vía: NL.
    Lusa/Fim
    , 07 de Junho de 2008, 08:30


    Lisboa, 07 Jun (Lusa) - O arqueólogo José d''Encarnação lançou um
    abaixo-assinado manifestando a sua preocupação quanto ao futuro de serviços do
    extinto Instituto Português de Arqueologia (IPA), nomeadamente a biblioteca e o
    arquivo, que reuniu numa semana cerca de
    mil assinaturas.


    A biblioteca e arquivo do ex-IPA encontram-se instalados provisoriamente desde
    a década de 1990 em antigas instalações militares na Avenida da Índia, junto a
    Belém, Lisboa, cujos terrenos deverão albergar o novo Museu dos Coches.


    José d''Encarnação disse à Lusa que, segundo o novo plano para a frente
    ribeirinha lisboeta, até 01 de Setembro "aqueles edifícios têm de
    ser deitados abaixo, não se vislumbrando para onde irá a maior biblioteca
    especializada de arqueologia do país e o arquivo onde se guardam os materiais
    descobertos e relatórios das escavações".


    João Pedro Cunha Ribeiro, subdirector do IGESPAR (Instituto de Gestão do
    Património Arquitectónico e Arqueológico) que integra os serviços do extinto
    IPA à luz do PRACE (Programa de Reestruturação da Administração Central do
    Estado), afirmou à Lusa que está "atento ao problema".

    "Acompanhamos com preocupação um problema que afectará serviços
    essenciais do IGESPAR, que não tem autoridade para encontrar novas
    instalações",
    afirmou.


    O responsável afirmou que "não há nenhuma informação oficial de que
    se tenha de sair a 01 de Setembro".


    Para Cunha Ribeiro, "mais preocupante e a exigir uma prioridade
    maior é a instalação do Arquivo de Arqueologia".


    O Arquivo, além da documentação em papel, armazena matérias das escavações e
    tanques "onde se guardam em água, com produtos específicos, certos
    materiais".

    "Há ainda um laboratório e tudo isto tem de ser instalado em
    condições",
    acrescentou.

    "Há escavações a decorrer todos os dias que não se podem fazer parar
    por decreto e este arquivo é a salvaguarda da arqueologia nacional",

    sublinhou.


    O responsável adiantou à Lusa que estão a ser estudadas hipóteses, "que
    garantam um espaço com dignidade e centralidade".


    A Biblioteca resultou da cedência em regime de comodato pela Alemanha, aquando
    da extinção da delegação em Lisboa, à avenida da Liberdade, do Instituto
    Arqueológico Alemão, em 1999.


    Cunha Ribeiro afirmou que "a tutela está a par da situação"
    e que nada está em risco, pois "a biblioteca será reinstalada num
    espaço que surgirá".

    "Sabemos que a biblioteca é muito utilizada, por várias razões e não
    só por arqueólogos como público interessado e estudantes universitário e tem de
    ter necessariamente centralidade",
    disse.


    O subdirector do IGESPAR afirmou "compreender a preocupação dos
    arqueólogos", mas garantiu "que não está em risco o desaparecimento
    da biblioteca".


    Outra questão que preocupa os arqueólogos é a possível extinção da Revista [Portuguesa] de
    Arqueologia. Porém, Cunha Ribeiro afirmou que "terá de ser
    repensada, mas não terminará".


    O responsável afirmou que "há que fazer restrições por questões
    orçamentais e voltar talvez ao seu modelo inicial, mais modesto".


    A revista, segundo José d''Encarnação "permitia aos arqueólogos darem
    a conhecer os seus trabalhos e era permuta com outras bibliotecas e
    universidades estrangeiras, que enriqueciam a Biblioteca de Arqueologia".


    O abaixo-assinado a circular na internet -
    http://www.petitiononline.com/biblipa - tem assinaturas de vários arqueólogos
    nacionais e estrangeiros, entre eles Victor Gonçalves, António Carlos
    Valera, Jackie Meier, James R. Wiseman e Paulo Pereira.



    Fuente:
    http://noticias.sapo.pt/lusa/artigo/b1776ec3a6e202e4835d4d.html#page=1, y http://foroterraeantiqvae.ning.com/profiles/blog/show?id=2043782%3ABlogPost%3A8605

  3. #3 Lusitano 08 de jun. 2008

    Listo!


    Ya firme, van 1038 firmas, colaboren porfavor!!


    Obrigado.

  4. Hay 3 comentarios.
    1

Si te registras como usuario, podrás añadir comentarios a este artículo.

Volver arriba